Notícias

EX-VOTOS DO MÉXICO: TRADIÇÃO E TRANSGRESSÃO. 

Imagem

Caroline Perrée: ​Un género subversivo, el retablo mexicano contemporáneo


​El exvoto mexicano pintado, proviene de una larga tradición que empezó en la Antigüedad griega pero que tomó la forma pictórica que conocemos en Italia en el siglo XV. «El retablo» como también lo llaman en México, es un presente prometido al implorar al santo o a la Virgen en el momento de un peligro, para agradecerle su intervención milagrosa. Esta práctica elitista en Europa y en México hasta el siglo XVIII, se populariza a lo largo del siglo XIX. En México, perdura hasta el siglo XX pero cae poco a poco en desuso. A principio del siglo XXI, el exvoto pintado retoma fuerza a través de una estética transgresiva que algunos retableros de la Ciudad de México van a crear y comercializar. Alfredo Vilchis fue precursor de esta corriente con respecto a las temáticas presentadas. David Mecalco emplea una estética expresionista para representar milagros poco ortodoxos respecto a la religión católica. Y Donovan pinta el exvoto de lo cotidiano pero introduce una estética retomada de nuestra modernidad al emplear el estilo de las historietas, el Pop Art, y los códigos iconográficos de Facebook. 

Biblioteca Vasconcelos, en el contexto de la exposición Alfredo Vilchis.


E-book Ex-votos das Américas.

Imagem

​https://www.editoracrv.com.br/produtos/detalhes/32366-ex-votos-das-americasbr-comunicacao-e-memoria-social ​


​MAIS UM NÚMERO DA REVISTA INTERNACIONAL DE FOLKCOMUNICAÇÃO

Imagem

SUMÁRIO
PDF 4-5

EDITORIAL
PDF 7-9

ARTIGOS E ENSAIOS
Lo decolonial en el horizonte de la folkcomunicación
María Eugenia BorsaniPDF 11-29

De massa, multidão e outros: acepções na modernidade e na contemporaneidade
Sebastião Guilherme AlbanoPDF 30-46

Folkcomunicação e Estudos de Recepção: O olhar de Roberto Benjamin
Guilherme Moreira Fernandes, Anderson Lopes da SilvaPDF 47-67

Muito barulho por tudo: uma análise sobre as estratégias políticas e comunicativas dos panelaços Anti-Dilma
Severino Alves de Lucena, Juliana Freire BezerraPDF 68-83

A Informação e o discurso das cartas e bilhetes ex-votivos: uma análise folkcomunicacional
José Cláudio Alves de OliveiraPDF 84-97

A transformação dos hábitos culinários da comunidade Quilombola da Fazenda Picinguaba (Serra do Mar Paulista)
Luís Carlos ParavatiPDF 98-117

Atualizações da mídia regional: a Rede Somzoom Sat dez anos depois (2005-2015)
Maria Érica de Oliveira Lima, John Willian LopesPDF 118-132

A Xilogravura está na moda: vestuário, folkmarketing e desenvolvimento local na feira de artesanato de Caruaru PE
Maria Luciana Bezerra da Silva, Severino Alves de Lucena FilhoPDF 133-151

ENSAIO FOTOGRÁFICO
La Cruz de Mayo de Los Chacayes, una festividad en riesgo
Cristian Yáñez Aguilar, Martín Reyes CalderónPDF 153-163

ENTREVISTA
Mestre Marcelino Azevedo: uma história de resistência contada nas zabumbas do Bumba meu bo
Letícia Conceição Martins CardosoPDF 165-174

​RESENHAS & CRÍTICAS
Desafios e rumos do Jornalismo cultural na contemporaneidade
Thays Assunção ReisPDF
176-179


Imagem
Imagem

A noite foi completa. Muita gente, muita emoção e felicidade. Dos autores, além do organizador, estiveram a Beatriz Helena Ramsthaler Figueiredo, Genivalda Cândido e Gilson Magno. Após as excelentes palestras dos Professores Saja e Heloisa Helena, vieram os autógrafos e o coquetel. Noite histórica e inesquecível para o NPE e GREC, que contou, também, com a inauguração da instalação da sala de milagres no MAB. 

Agradecemos aos funcionários do MAB, à museóloga Francisca Andrade e ao Diretor Pedro Arcanjo.


REVISTA EXTRAPRENSA

Imagem

O número 9, v. 1 da Revista Extraprensa, da ECA-USP, traz, entre excelentes produções, o artigo Cartas ex-votivas: histórias de vidas, memórias social e comunicação, produção do NPE

O artigo propõe analisar alguns aspectos dos bilhetes e cartas ex-votivos, encontrados em salas de milagres dos santuários do Brasil e México. O trabalho parte de dados coletados no Projetos Ex-votos do Brasil e Ex-votos das Américas, em andamento, que objetiva identificar, catalogar e iconografar a rica tipologia dos ex-votos no Brasil e Américas. Aqui, o recorte tem por objetivo falar das cartas e bilhetes ex-votivos como fontes para a informação e a memória social, por serem ricas fontes para o estudo da história local, regional e nacional. No curso do texto alguns exemplos que ilustrarão o potencial desse documento, media ou simplesmente testemunho social. Como base, estão autores dos campos da memória, como Bérgson e Jacques Le Goff, da comunicação, a exemplo de Luiz Beltrão e José Marques de Melo, e da Museologia, a pesquisadora Maria Augusta da Silva. Orlandi, traz uma base para a argumentação sobre a análise do discurso, que faz parte das narrativas dos denominados “ex-votos bibliográficos”. Busca-se situar algumas questões relativas à gramática da escrita e aos suportes, que trazem características marcantes de uma rica tradição latina de longa duração, que almeja a relação entre o crente e o ente superior.

A publicação saiu ontem, 10 de maio, com edição referente a dezembro de 2014. É mais uma bela produção do NPE numa grande revista.​



REVISTA MUSEOLOGIA & INTERDISCIPLINARIDADE

Imagem

Nas palavras dos Editores Emerson de Oliveira e Ana Lúcia de Abreu Gomes,

“É com imensa satisfação que informamos que está disponível a sexta edição da revista Museologia & Interdisciplinaridade 
(http://seer.bce.unb.br/index.php/museologia/index)
Queremos agradecer a todos pela colaboração. Esperamos contar com novas participações nos próximos números.

Por favor, solicitamos que divulguem aos seus pares a revista”.

Neste número, o artigo EX-VOTOS PICTÓRICOS: TRADIÇÃO E PERMANÊNCIA DE PORTUGAL AO BRASIL, do Coordenador do NPE.